Bem-EstarLifestyle

Conexões dos Signos para Abril

Depois de um mês tão agitado e intenso, Abril traz-nos uma energia mais positiva e suave, marcada por um eclipse da Lua no início do mês, na véspera da Páscoa, e com Júpiter a voltar ao movimento directo no dia 8, permitindo um voltar ao optimismo e aligeirando a pressão destas últimas semanas. É exactamente esta energia que as mensagens de conexão do Tarot nos trazem para Abril.

As Conexões para a energia dos Signos trazem-nos, juntamente com a energia do Tarot, mensagens, orientações e ideias para as doze dimensões do Ser que estão sempre a operar connosco. Através destas conexões, poderão ver a mensagem quer para o Signo Solar (o “nosso” signo), quer para o Signo Ascendente (se for diferente), e compreender ainda melhor o trabalho a fazer neste mês! Para além da Conexão dos Signos, e já para começar, uma mensagem geral para os próximos dias!

 

Abril

Se nos meses que se passaram, como diversas vezes foi-nos indicado, foi o tempo de plantar, de investir e de olhar para nós, agora chegou o tempo de colher os frutos e receber os dividendos do nosso trabalho, essa é a grande mensagem que o 6 de Ouros nos traz para este mês de Abril. Duas premissas, contudo, nunca nos podemos esquecer. Uma, a de que o Universo vive em perfeito e constante equilíbrio e, como tal, o que colhemos está na directa proporção do que plantámos. A outra, a de que o Universo dá-nos sempre o que precisamos, mas nem sempre o que queremos, tão pura e simplesmente porque tantas vezes queremos algo que, na realidade, não precisamos, não estamos preparados para receber ou não merecemos de todo. Observemos então o que andámos a fazer perante os desafios que nos foram colocados. Será que os ignorámos e mantivemos os mesmos padrões e hábitos? Ou, por outro lado, será que soubemos olhar para dentro de nós e dar os passos para mudar aquilo que já não nos leva a lado algum? Escolhemos o caminho fácil ou, por outro lado, escolhemos aquele que, embora mais difícil, é o que nos leva à mudança que queremos nas nossas vidas? Se nos entregámos, de coração, ao nosso percurso e ao nosso propósito, aceitando as provações e os obstáculos, então este mês poderá começar a trazer-nos as primeiras flores e os primeiros frutos desse mesmo investimento. No entanto, se ainda ficámos fechados na nossa zona de conforto, nos nossos padrões, então é o tempo de mudar, de arriscar, assumindo a responsabilidade de todo o percurso que até agora fizemos.

 

Carneiro

No mês que passou, a energia de Carneiro teve muitas movimentações, com muitos planetas a transitar e a trabalhar intensamente, criando uma forte energia de impulsão e de arranque que, neste momento, é importante de ser aproveitada e vivida. O Cavaleiro de Paus diz-nos exactamente isso, que é tempo de trazermos cá para fora toda a energia que estivemos a viver e orientá-la para os nossos propósitos e objectivos. Motivação, força de vontade e entusiasmo são palavras-chave para estas próximas semanas, que nos pedem optimismo e determinação, pois só dessa forma podemos mudar o que necessitamos de mudar, atingir os objectivos que pretendemos e sentirmos que, a cada momento, estamos a crescer e a sermos nós mesmos. Sermos activos e cheios de energia é, muitas vezes, fácil para nós. Contudo, o que este Cavaleiro nos solicita é que saibamos canalizar essa energia para o nosso propósito e para os nossos objectivos, para subir mais uns degraus na nossa caminhada e desbravar terreno, sem a desperdiçar em coisas que não interessam nem nos levam a lado algum. Aproveitemos também para transmitir toda essa energia a quem nos rodeia, espalhando e oferecendo alegria e optimismo, fé e entusiasmo, pois é a felicidade que sabemos encontrar em nós, muitas vezes pelas coisas mais simples e pequenas, que nos permite ultrapassar os maiores obstáculos que a vida nos apresenta.

Touro

Depois de um mês de grandes transformações, agora é tempo de assimilar toda a energia dessa aprendizagem e transmutá-la em paz, fé e harmonia, abrindo o coração para tudo o que o Universo nos está a dar. Essa é a mensagem que o 10 de Copas, uma das mais belas cartas do Tarot, nos traz para a energia de Touro no mês em que o Sol ingressará no nosso Signo. A verdadeira felicidade está, muitas vezes, nas mais simples coisas da vida, naquelas que, realmente, nos preenchem o coração, não em estruturas financeiras ou materiais, não em falsos sentimentos ou relações que, na realidade, estão presas por um fio. Por muito que tenhamos percorrido até agora, e por muito mais que ainda iremos percorrer, nem sempre fácil nem simples, é vivendo o momento presente, o Agora, com amor, entrega e dando voz ao nosso coração, aceitando que cada caminho é feito por etapas, que para passarmos à seguinte é preciso assimilar a aprendizagem desta, que poderemos encontrar, em cada segundo, a paz interior, a estrutura e a felicidade que estamos sempre em busca. Muitas vezes, procuramos fora aquilo que apenas podemos encontrar dentro de cada um de nós, dentro do nosso coração. Este mês, sejamos capazes de reconhecer a beleza das nossas emoções, sejamos capazes de partilhar com aqueles que nos são próximos, com a nossa verdadeira família, todas as coisas maravilhosas que sentimos e que temos para dar, sem os medos do passado, sem as dúvidas ou os receios, entregando-nos à vida para que a vida nos possa entregar de volta todas as suas dádivas.

Gémeos

Depois de tantos meses a trabalhar emoções, Abril traz um novo desafio para a energia de Gémeos, com uma das mais fortes cartas do Tarot. O 10 de Ouros é uma carta de profunda magia, que nos pede que saibamos ver a vida para além do mundinho tradicional em que vivemos. Nós, que tão observadores e curiosos somos, paremos um pouco para olhar à nossa volta. Permitamo-nos ver, com os olhos da alma, as pessoas que nos rodeiam, as conhecidas e as desconhecidas, e compreendamos o fosso de tristeza e anulação em que muitas se encontram, simplesmente por não verem aquilo que agora nos é apresentado. Quando nos entregamos à vida, de coração aberto, arriscando fazer aquele que, sabemos, é o nosso verdadeiro caminho, o Universo dá-nos verdadeiros milagres, mostrando-nos que existe muito mais no mundo e na vida do que aquilo que os olhos físicos são capazes de ver, mostrando-nos que a própria vida, em si mesma, já é pura magia, já é um magnífico milagre. De que serve andarmos chateados e presos a coisas que, na realidade, não nos trazem felicidade? De que serve darmos importância ao que não tem importância? Sim, temos de viver determinadas situações, temos de ganhar dinheiro para termos as coisas que necessitamos, mas o problema está quando deixamos que essas coisas assumam um papel mais importante nas nossas vidas que a felicidade, que a paz interior, que a harmonia, que a fé e, acima de tudo, que o amor. Então, saibamos este mês colocar cada coisa no seu lugar e reconhecer que a vida tem coisas maravilhosas para nos dar, que para as receber basta reconhecer que a nossa vida é pura magia.

Caranguejo

O mês que passou trouxe desafios interiores, muito ligados à nossa mente, às nossas crenças e às nossas concepções. Se fomos capazes de assimilar essas aprendizagens, plantámos em nós uma semente de mudança, de transformação, que agora necessita de ser alimentada. O 7 de Ouros lembra-nos, precisamente, dessa tarefa que, para a energia de Caranguejo, é, por vezes, tão difícil, a de saber alimentar essa semente plantada e esperar que ela dê frutos. Paciência, ponderação e paz interior é o que mais necessitamos neste mês para podermos sentir que estamos realmente a crescer. Ainda que comecem umas pontinhas verdes a rasgar a terra, que é como quem diz, ainda que os nossos projectos comecem lentamente a materializar-se, é preciso continuar a alimentar, a trabalhar, a dedicarmo-nos de coração, aceitando que na vida tudo funciona em ciclos, tudo tem um tempo para se desenvolver e que se não formos capazes de aceitar esse tempo, corremos o risco de deitar tudo a perder. Paciência nem sempre é o nosso forte, pois muitas vezes queremos resultados rápidos, queremos subir a escadaria em poucos passos, mas a realidade é que quando aceitamos, humildemente, o tempo certo de cada processo, permitimo-nos compreender cada momento da nossa caminhada, ver com atenção as alternativas que nos são apresentadas, trabalhar sobre nós mesmos e celebrar cada verdadeira vitória que vamos atingindo. Muitas vezes queremos algo para o qual não estamos preparados, como crianças que vêem um fruto verde e, sem paciência que ele amadureça, colhem-nos. O que acontece é o óbvio, damos uma dentada, vemos que é amargo e deitamos fora o resto que poderia ter sido um belo fruto. Então, neste mês, sejamos pacientes e deixemos as sementes crescerem, os frutos amadurecerem, cuidemos de nós, dos nossos projectos, olhemos para dentro de nós e aceitemos que tudo tem um tempo certo e uma hora exacta.

Leão

A passagem de Júpiter por Leão, nomeadamente nestes últimos meses, em movimento retrógrado, tem trazido grandes desafios e movimento ao nosso signo que, tantas vezes, apenas quer um pouco de descanso. Abril ainda não é tempo para descansar, até porque o 7 de Copas traz-nos mais um desafio para ser vivido. Sermos felizes implica reconhecermos que somos seres emocionais, que existe em nós um coração que bate forte e que urge por deixar vir cá para fora todos esses sentimentos que, tantas vezes, por falta de jeito ou por outra coisa qualquer, temos medo de manifestar. É tempo de nos deixarmos de ilusões, largarmos os receios e as dúvidas, largarmos todas essas questões que nos têm vindo a prender ao longo dos últimos tempos e sairmos da sombra da nossa vida, assumindo o papel principal que só a nós nos pertence. Neste mês, é preciso compreendermos que não é mantendo a mesma atitude que vamos mudar o nosso caminho, é preciso mudar, é preciso trazer a nossa essência para a Luz, deixar a nossa alegria mostrar-se. Não aquela que fabricamos no dia-a-dia, mas sim a que é genuinamente nossa, a que nos permite estarmos bem connosco e superarmos todas as dificuldades e obstáculos, a que nos traz uma confiança tal na nossa caminhada que, independentemente de qualquer problema, somos capazes de seguir em frente. Contudo, para que tudo isso possa manifestar-se, é preciso, tão simplesmente, abrirmos o nosso coração, sairmos da sombra e mostrarmos as emoções que vivem dentro de nós. Só dessa forma, quem nos rodeia, poderá conhecer-nos como realmente somos, poderá aceitar-nos como somos, assim como nós próprios poderemos fazer o mesmo.

Virgem

Pelo segundo mês consecutivo, Virgem tem como conexão a energia da Imperatriz. Esta tão bela e emocional carta, que nos pede que sejamos capazes de deixar os sentimentos e as emoções se manifestarem, vem-nos também pedir outra reflexão desta energia nas nossas vidas. Quando sabemos canalizar as nossas emoções, sendo fiéis à nossa natureza elemental de Terra, mais do que uma simples manifestação da sua energia, somos verdadeiramente capazes de materializar em algo concreto, real, belo e criativo. É chegado o tempo de focar a nossa energia no que queremos realmente criar nas nossas vidas, é o momento de libertarmos a nossa criatividade e compreendermos que é de coração aberto, dando voz às nossas emoções, que conseguimos atingir o que a vida tem para nos dar. Tudo o que fomos vivendo nos últimos meses abriu portas e canais, abriu a consciência para o caminho que estamos a fazer, deu-nos matéria-prima para tudo o que precisamos de criar, se assim formos capazes de aceitar e acreditar nas nossas capacidades. Criar é amar-nos tão profundamente que estamos dispostos a trazer até ao mundo concreto e real aquilo que acreditamos que pode, de alguma forma, marcar a diferença e cumprir o propósito maior do nosso signo, servir. Criar é acender e alimentar a nossa centelha divina com a energia que deu origem a tudo o que existe, o Amor. Contudo, é preciso compreender também que, tal como na Natureza, tudo tem o seu ritmo, tudo tem o seu tempo certo para ser plantado, para ser alimentado, para crescer e para dar frutos. Neste mês precisamos de amadurecer as nossas ideias, carregá-las de amor e de emoções, abrir as gavetas e tirar de lá os projectos que, em certos momentos das nossas vidas, por falta de confiança ou por medo, ficaram parados, imprimindo neles um novo vigor, transformando-os e materializando-os.

Balança

Toda a energia que vivemos no mês passado, com o confronto entre a nossa razão e a nossa emoção, toma agora outra proporção, outro desafio. Com um eclipse da Lua a ser vivido no nosso signo já no dia 4, certamente iremos experienciar um resgate interior de quem somos e das nossas capacidades, algo que o Ás de Ouros manifesta e reforça como mensagem para a energia do nosso signo neste mês. Esta maravilhosa carta lembra-nos que tudo o que temos vivido tem um simples propósito, o de evidenciar as nossas verdadeiras capacidades, a nossa essência, auxiliando-nos a reconhecer os nossos dons e as nossas valências. Contudo, este é apenas o início de um processo, pois agora é preciso sabermos usar tudo aquilo que temos vindo a descobrir que existe dentro de nós. Um frasco de perfume não serve para enfeitar e para abrirmos de vez em quando apenas para sentirmos o seu aroma, ele tem um propósito e uma utilização. Assim também são todos os nossos dons, precisam de ser usados e manifestados, pois só dessa forma eles podem transformar-se em verdadeira mestria, que amplifica o nosso ser e permite-nos cumprir o nosso propósito. O Ás de Ouros pede-nos, por isso, audácia para sabermos agarrar o que a nossa alma escolheu como capacidades para trazer à Terra, mesmo que isso, muitas vezes, nos meta medo, mesmo que nos desequilibre um pouco, mas sem sairmos da nossa zona de conforto, da nossa ilha, não podemos descobrir o mundo.

Escorpião

A energia de Escorpião é a que mais desafios tem vivido nos últimos meses, e este mês não será excepção, com a energia da Torre a pedir, mais uma vez, aquilo que sabemos fazer de melhor, quebrar as nossas estruturas e permitirmo-nos renascer. Para atingir a Luz é preciso fazer o caminho da Sombra, para chegarmos ao nascer do sol é preciso passar pela madrugada escura, para nos libertarmos do que nos prende é preciso quebrarmos as nossas próprias barreiras. Durante algum tempo foi-nos permitido estarmos um pouco mais quietos, em reflexão (a conexão do mês passado foi exemplo disso), transmutando em nós aquilo que a passagem de Saturno, durante três anos, veio remexer e revelar. Contudo, agora é tempo de agir, de nos entregarmos ao nosso caminho e destruir o que precisa de ser destruído, abrindo o trilho para tudo o que precisamos de viver a partir de agora. Na prática, o que nos está a ser pedido é que permitamos que as mudanças aconteçam, que não mantenhamos as nossas barreiras e resistências habituais, que arrisquemos sair da nossa zona de conforto e rasguemos os nossos próprios padrões. A dor que dentro de nós, com toda a certeza, ainda existe, tem de ser matéria-prima para o nosso despertar, não pode continuar a ser mitigada, alimentada e escondida por outras situações, ela tem de ser libertada e usada como força de impulsão para um novo início, para uma nova etapa, para a construção de uma nova realidade.

Sagitário

Este mês a energia de Sagitário tem um muito importante desafio que não pode, de forma alguma, ser deixado de parte. Depois de, nos últimos meses, termos vivido tantas coisas positivas e boas, termos feito tantas descobertas sobre nós mesmos e sobre o nosso caminho, é chegado o tempo de limpar a nossa mente e o nosso coração de tudo o que não faz parte de quem somos hoje e de quem queremos, a cada momento, ser. Essa é a mensagem que o 3 de Espadas, uma carta nem sempre muito fácil de ser vivida, nos traz para este mês. Toda a caminhada que temos feito tem servido para nos mostrar e provar o nosso propósito. Se temos deixado o nosso coração falar, então temo-nos libertado de amarras e prisões e permitido receber o que a vida nos tem para oferecer. Contudo, agora é o momento de deixar no passado o que é do passado, de escolhermos o que é melhor para nós e para a nossa caminhada, de nos libertarmos de medos, receios e dúvidas, de hábitos antigos e padrões que, no passado, só nos trouxeram sofrimento. Quando somos capazes de aceitar e assimilar o que vivemos, limpando da nossa mente essas memórias, perdoando no nosso coração não só os outros mas, acima de tudo, a nós mesmos, somos aquilo que tanto o nosso signo pretende ser, livres. Se o soubermos fazer e nos entregarmos a este desafio, conseguiremos limpar o que nos impede, realmente, de abrir as nossas asas e voar, de encontrar a felicidade, o sucesso e de sorrirmos sem o coração ferido.

Capricórnio

Se o último mês trouxe-nos escolhas e estruturas a serem quebradas, algo profundamente normal nestes últimos anos, com a passagem de Plutão pelo nosso signo, agora, que este planeta está mesmo a meio caminho, a energia do Julgamento vem-nos trazer uma muito importante etapa e uma igualmente importante decisão. Todo o percurso que tem sido feito chega agora a um ponto de viragem, a um momento onde o que nos está a ser solicitado é que nos permitamos resgatar a nossa verdadeira essência e nos permitirmos renascer. Para isso, é preciso sermos capazes de compreender interiormente todo o caminho que temos feito, todos os obstáculos e provas que temos vindo a viver e que temos superado, aceitar todas as transformações e entender que o que nos tem sido pedido é apenas e simplesmente que saibamos ser nós mesmos. O que esta carta nos traz neste mês é, perante tudo o que foi vivido, que saibamos tomar uma das mais importantes decisões, a de nos mantermos no mesmo tipo de padrão, de hábitos, de ritmos, que já nada nos dizem ou de aceitarmos o nosso propósito e seguirmos em frente, renascendo para nós mesmos e resgatando aquelas pequenas coisas que estiveram, durante muito tempo, apagadas e escondidas dentro de nós. Ainda que isto possa parecer confuso, é algo transversal a todas as áreas da nossa vida. Agora é o momento de escolhermos que trilho queremos percorrer, de aceitarmos o desafio de mostrarmos quem realmente somos e o que pretendemos para nós, de sermos verdadeiramente sinceros e honestos, principalmente connosco mesmos.

Aquário

No mês passado tivemos muita energia a ser confrontada dentro de nós, mostrando-nos a verdade sobre o nosso caminho e sobre a nossa vida, pedindo-nos uma tomada de decisão forte e determinada sobre o que pretendemos para nós. Se tivemos a audácia e a coragem de o fazer, então o Universo traz-nos uma energia para este mês que, certamente, nos irá ajudar. O Pajem de Paus é uma carta muito positiva e entusiasmante, que nos diz que o Universo está-nos a dar oportunidades de mudança, de transformação, de crescimento, mas que apenas depende de nós agarrar, com toda a motivação e força, essas mesmas dádivas. Perante tudo o que temos vivido e de que nos temos apercebido sobre o nosso caminho, uma verdadeira tomada de consciência sobre nós mesmos, nestas últimas semanas, agora é o momento de abraçarmos a decisão e agarrarmos esta energia que nos está a ser dada. Observemos bem o mundo à nossa volta, libertemo-nos daquelas coisas mais chatas que nos andam a atormentar e saibamos reconhecer todas as coisas que estão ali bem disponíveis para nós, que só nos pedem que as saibamos aproveitar. Para o podermos fazer, é realmente preciso libertarmo-nos de padrões e medos, permitirmo-nos arriscar e acreditar. Sem fé, dificilmente qualquer oportunidade se poderá materializar, pois a matéria-prima de que cada dádiva é feita só é possível de ser activada pela força do acreditar na mudança, nas possibilidades, mas, principalmente, em nós mesmos. Então, vamos agarrar este momento e fazer dele o tempo mais especial das nossas vidas, agora!

Peixes

Depois da forte e profunda reflexão que o mês passado nos trouxe, com o eclipse do Sol a ser vivido no muito intenso último grau do nosso signo, pedindo-nos tomada de consciência e transformação, agora é tempo de pararmos um pouco e olharmos para dentro de nós. O 4 de Espadas lembra-nos que existe um momento em que, para nos equilibrarmos, temos de parar e focar-nos em nós, quebrar o ciclo de espiral mental que a nenhum lado nos tem levado, que tantas vezes apenas nos traz mais complicações e problemas. Ao pararmos um pouco e descansarmos a nossa mente, teremos, com certeza, a oportunidade e a capacidade de focar esse nosso bem maior que são as nossas emoções e sentimentos para nos transformarmos e criarmos um novo ciclo para as nossas vidas. Resistir a este pedido de descanso e de foco apenas fará com que amplifiquemos uma verdadeira tempestade dentro de nós, não conseguindo dividir o que é terreno das emoções do que é terreno do racional, criando mais ilusões, aquelas mesmas para que temos vindo a ser alertados. Ainda que o 4 de Espadas nos traga uma vivência um pouco diferente daquela que é o nosso hábito, ele não nos pede para sermos racionais nem frios, pede apenas que façamos uma pausa e olhemos para nós, pois apenas dessa forma encontraremos esse caminho que temos estado em busca há tanto tempo.

Artigo publicado em simultâneo em www.leonardomansinhos.com
Tags
Show More

Leonardo Mansinhos

Nasci em Lisboa em 1980 sob o signo de Virgem e com Ascendente Capricórnio. Quando era pequeno descobri uma paixão por música, livros e por escrever. Licenciei-me em Organização e Gestão de Empresas pelo ISCTE e trabalhei durante quase uma década nas áreas de comércio, gestão e, principalmente, Marketing, mas desde muito cedo interessei-me pelo desenvolvimento espiritual. Comecei como autodidacta há mais de uma década em diversos temas esotéricos, nomeadamente em Astrologia, e, mais tarde, descobri no Tarot uma verdadeira paixão. Hoje dedico-me a esta paixão através das consultas de Tarot e Astrologia, assim como de formação, palestras e artigos nas mesmas áreas. Em 2009 co-fundei a Sopro d’Alma, um espaço de terapias holísticas e complementares, dedicado ao ser humano e onde dou as minhas consultas, cursos e palestras. Procuro, acima de tudo, ser um Ser todos os dias melhor, pondo-me ao serviço da sociedade através de tudo o que sou.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: