Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
SociedadeSociedade

Autonomia

Autonomia significa aptidão ou competência para gerir a sua própria vida, valendo-se das duas próprias vontades, princípios ou meios. Todos queremos ser autónomos, mas, curiosamente, não temos a mesma vontade de dar autonomia aos outros, principalmente àqueles que amamos. Não é defeito, é feitio, faz parte da nossa essência acharmos que os que nos rodeiam não conseguem ser autónomos e precisam sempre de nós, em vários níveis.

Quando amamos queremos proteger as pessoas por quem nutrimos esse sentimento. E, nas nossas cabeças, proteger passa por as ajudar a fazer tudo e mais alguma coisa, para que não errem e, consequentemente, não se desiludam. Temos o vício – diria eu – de ter tudo sob o nosso controlo. Somos seres controladores – é um facto – e dessa necessidade de controlar tudo vem esse hábito de tirar aos outros a autonomia que eles querem ter.

Custa-nos acreditar que os outros consigam fazer as coisas como nós fazemos. Podem fazê-las bem, mas nunca as farão como nós, o que se prende com o facto de sermos todos diferentes. As nossas mentes não processam essas diferenças na sua plenitude e insistem em dizer-nos que devíamos ser nós a fazer aquilo e não o outro. Isso vê-se muito bem entre colegas de trabalho – sabemos que o nosso colega consegue desempenhar aquela tarefa, mas a consciência de que nós a desempenhamos da forma que queremos que seja desempenhada faz-nos ter vontade de sermos nós a resolver o assunto, retirando à outra pessoa a oportunidade de demonstrar as suas competências e de fazer o seu trabalho.

Tudo tem de ser feito à nossa maneira, nas mais variadas áreas. Queremos que seja tudo perfeito e só pode ser perfeito se for feito por nós – mesmo que tenhamos a noção de que também falhamos. A falta de autonomia está, assim, relacionada com o perfeccionismo. Somos perfeccionistas e, por isso, retiramos aos outros a sua autonomia, para podermos fazer as coisas à nossa maneira.

Esta dificuldade que temos em dar aos outros a autonomia que merecem ter não me parece ser um defeito. É certo que todos merecemos ser autónomos e sentir que os outros confiam em nós, nas nossas capacidades e no nosso trabalho. Contudo, se virmos bem as coisas, esta situação advém de uma grande crença nas nossas próprias capacidades, que nos faz acreditar que conseguimos fazer determinada coisa bem-feita. No fundo, não estamos a desvalorizar o outro, mas a valorizar-nos a nós mesmos – e o que pode haver de mau nisso?

Tags
Show More

Joana Veríssimo

Licenciada em Jornalismo e Comunicação e com uma paixão enorme pela escrita.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: