Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Rosa Machado

Por ser curiosa e fascinada pelo que não compreendo, considero-me uma devoradora de livros e uma criadora compulsiva, seja de contos no papel ou de histórias mirabolantes no dia-a-dia. Adoro animais, fotografia, música e filmes – arte em geral. Perco a noção do tempo com conversas filosóficas sobre nada, longas caminhadas para parte nenhuma, conversas exageradas com os amigos, e séries com ronha no sofá.
Como se fossem só uma
Contos

Como se fossem só uma

Abraçou-a de olhos fechados. O corpo dela, o cheiro dela, o choro dela foi o que a impediu de ceder…
Nada em ti
Contos

Nada em ti

Não há nada de nada em ti. Nada. Esse olhar que guarda tudo aquilo que eu quero compreender, que exige…
Ignorantes
Contos

Ignorantes

A noite de Verão entrava silenciosa pela janela, abafava a respiração, fazia suar. A luz branca da marquise iluminava tudo:…
Truques de bruxa
Contos

Truques de bruxa

Fazes questão de beber dos copos que ainda têm os meus lábios lá colados. Em noites antigas mordias-me num quase-beijo,…
O que nos liberta
Contos

O que nos liberta

Estávamos ali, bêbedos de vida. As mãos pegam em copos para brindar. Conhecemo-las de cor. As mãos que nos seguram…
Odeio estar a escrever sobre ti
Contos

Odeio estar a escrever sobre ti

Odeio estar a escrever sobre ti. Odeio que as voltas que dou inquieta na cama sigam o ritmo que imagino…
Quebra-silêncios nocturnos
Contos

Quebra-silêncios nocturnos

Os pensamentos gritantes que nos mantêm os olhos abertos. Há algum tempo que não acordava a meio da noite. Desperto,…
Quase a tempo
Contos

Quase a tempo

A última carta da mãe tinha chegado depois do funeral: “O anoitecer de Lisboa sempre me deixou com vontade de…
O aqui sabe-me a pouco
Contos

O aqui sabe-me a pouco

Nalguma parte importante de mim ficou um buraco com a tua forma e cada dia encho-o com sonhos e possibilidades.…
Quando o pai saiu de casa, a mãe estava à janela
Contos

Quando o pai saiu de casa, a mãe estava à janela

Os dedos tremiam-lhe quando abriu uma lata de atum para juntar ao feijão frade. Sentia o coração descompassado, os movimentos…
Back to top button

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker