CulturaLiteratura

As Assistentes, de Camille Perri

Opá, que livro tão divertido! Mesmo! Devorei-o num dia!

A sinopse é fantástica, fiquei imediatamente curiosa. Li o princípio do livro na página de Facebook da Topseller e ainda foi pior: revela logo que as assistentes serão apanhadas. Só nos faz querer ler mais o livro, certo? Não só para perceber como começou, mas também para saber o que vai acontecer depois. Gosto de ser abordada desta forma, quando é bem feito: livros que nos contam um segredo do final e que depois temos de ir descortinando o que se vai desenvolvendo.

Por detrás de todos os homens poderosos, há uma mulher… a sua assistente, que se calhar pode ser ainda mais poderosa pelos segredos e informações a que tem acesso. O livro é hilariante e soube-me muito bem seguir a trágica situação de Tina e rir-me das desgraças dela. Coitada. Porém, é fantástica, tanto a escrita como esta protagonista improvável, inteligente, que não podia concordar mais com Sartre («o inferno são os outros», farta-se de repetir) e, no entanto, se vê forçada a ter de conviver com outras pessoas. Obrigada como quem diz chantageada. Pois. E, a partir daí, tudo pode acontecer… E tudo acontece mesmo. É delicioso!

Camille Perri conseguiu pensar numa situação com um potencial tão cómico quanto trágico, e juntar o poder da união. Aliás, foi capaz de pegar em várias improbabilidades – de pessoas, de relações, de crimes, de amizades – e torná-las viáveis, obrigatórias, credíveis. Foi o que mais gostei: acreditar em toda aquela história, que poderia ser real e que pode aparecer num qualquer jornal um dia destes. Torci pela heroína criminosa e dei gargalhadas a cada passo, revés e curva no caminho dela, com todas as inseguranças, medos, culpas e forças que ela foi alinhavando dentro dela. Adoro que a heroína seja criminosa e a vítima meio vilão, gosto destes personagens com vários lados. Aliás, todas as personagens, mesmo podendo parecer estranhas, estereótipos ou caricaturas ao princípio, não são nada disso: são muito humanas, muito irritantes e muito geniais.

É um livro mesmo divertido e bem-disposto, que também nos mostra girl power, mas de uma forma tão engraçada e desajeitada que se torna revigorante – nem sempre queremos heroínas cheias de vontade de mudar o mundo, as acidentais são também muito interessantes, e possivelmente muito mais fáceis de nos identificarmos com elas.

Também queria falar do fim, mas não quero ser spoiler. Só dizer que foi uma excelente maneira de terminar, e mesmo que eu geralmente goste de fins trágicos ou abertos, este foi perfeito para toda a história. Cheio de esperança. Nunca sabemos quando vamos encontrar aquilo para que fomos feitos, e quem é que nos vai surpreender no nosso caminho.

Obrigada à Topseller / 20|20 Editora por este livro. Estava mesmo a precisar desta história!

Tags
Show More

Rosa Machado

Por ser curiosa e fascinada pelo que não compreendo, considero-me uma devoradora de livros e uma criadora compulsiva, seja de contos no papel ou de histórias mirabolantes no dia-a-dia. Adoro animais, fotografia, música e filmes – arte em geral. Perco a noção do tempo com conversas filosóficas sobre nada, longas caminhadas para parte nenhuma, conversas exageradas com os amigos, e séries com ronha no sofá.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Check Also

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: