CrónicasEuropaMundoPolítica

Agora que já passou a onda

Efectivamente, agora que já passou a moda do je suis isto e aquilo, penso que é importante fazer uma pequena reflexão sobre alguns pontos. São eles:

– Primeiro que tudo, o ataque cobarde à redação do Charlie Hebdo não “foi bem feito”, nem o dito jornal “estava a pedi-las”. Bem sei que existe muita gente, cujas convicções religiosas são o topo da sua pirâmide da vida, mas pedir sensatez e seriedade a caricaturas é ridículo, para não dizer estúpido. No dia em que uma caricatura for uma coisa séria, esta não será mais uma caricatura. Usar a massa cinzenta antes de dizer asneiras é um exercício que não fazia mal a muito boa gente.

– Segundo, não creio que o ataque a Charlie tenha tido a ver com a liberdade de expressão. Tal argumento é pura propaganda, para desviar a atenção dos Cidadãos do cerne da questão. Os Terroristas escolheram atacar o dito Jornal, porque sabiam que iam provocar as ondas de choque que todos temos visto nos últimos dias. Neste aspecto, pode-se dizer que o Terrorismo está a ganhar a Guerra.

– Terceiro, ainda está para vir o porquê de um País altamente preparado e equipado contra actos terroristas como a França deixou que tivessem acontecido não um, mas sim três ataques terroristas no seu território. E digo três, porque, antes do ataque ao Charlie Hebdo e ao Supermercado Judaico, já um maluco tinha andado a atropelar pessoas em nome do Profeta.

– Quarto, triste e vergonhoso o comportamento de Israel perante o que sucedeu em Paris. Para os Israelitas, o único ataque terrorismo foi o que sucedeu no Supermercado Judaico. Para Israel, o que aconteceu no Charlie e os Polícias que foram mortos são dois “não acontecimentos”. Para mais dois dos Polícias mortos pelos maluquinhos que andaram aos tiros em Paris eram Muçulmanos… Até caía o cú aos Políticos Israelitas se tivessem tido a humanidade de lamentar a morte de dois Muçulmanos e de elementos de um Jornal Satírico. Contudo, pior que isto é o Estado de Israel utilizar este ataque para vir com o seu habitual discurso dos “pobres coitadinhos perseguidos”. Convêm aqui recordar que estes “pobrezinhos” dos Israelitas têm somente um dos maiores exércitos do Mundo e uma série de Crimes de Guerra perpetrados ao longo de décadas, sem que tivessem sido sequer repreendidos por tal.

– Quinto e último ponto, tem a sua piada ver a França a sofrer com os monstros que cria. Já no passado os Estados Unidos da América tinham armado e treinado os Vietcongs, para que estes combatessem os Franceses no Vietname. Depois a criação acabou por se virar contra o seu criador, como todos pudemos ver na famosa Guerra do Vietname. Já os Franceses fizeram de conta que a História nada ensina e andaram entretidos a despejar bombas na Líbia, quando o Mundo ainda debatia a necessidade, ou não de uma intervenção armada no País do falecido Muammar al-Gaddafi, e, mais recentemente, fartaram-se de mandar Conselheiros de Guerra para a Síria para treinar as “Forças Rebeldes”. Primeiro, criam os “animais” e, depois, queixam-se do quão selvagens são.

P.S. um aparte: a manifestação de Paris tinha como grande objectivo defender a liberdade de expressão e de opinião. Então, como é que deixaram de parte alguém que não seguia o pensamento dominante e que fez sugestões caricatas, como foi o caso a Sra. Le Pen? Será que a liberdade de pensamento e de expressão existe só quando todos pensamos da mesma maneira?

Tags
Show More

Pedro Silva

“É preciso provocar sistematicamente confusão. Isso promove a criatividade. Tudo aquilo que é contraditório gera vida.” (Salvador Dalí)

Crítico, opinativo e com mente aberta. É isto que caracteriza um Cronista.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: