CulturaCultura

Afinal os museus estão na moda!

Ao contrário do que se pensa, os museus são hoje “valiosíssimos instrumentos de troca social” e há cada vez mais gente interessada em visitá-los

Existem mais museus e existem mais turistas. Segundo José Soares Neves, professor ISCTE-IUL, investigador do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia e coordenador do último Panorama Museológico em Portugal, o “crescimento continuado” do número de museus é uma das explicações para o aumento do número de turistas. Aliás, os museus são cada vez mais um ponto de interesse e ocupação dos turistas, sendo que “o turismo em Portugal vem registando procuras crescentes, de nacionais e estrangeiros”, acrescentou o investigador.

Quando temos em atenção a evolução dos números desde 1950, de acordo com José Soares Neves, “assistimos paulatinamente à valorização da memória, do património”, algo que se torna mais visível na década de 1970 com o crescimento do número de museus, “sobretudo municipais”. E esta é uma tendência que se verificou nas décadas seguintes, que refletem o impacto do turismo, mas também a “articulação” dos museus com as escolas, assim como a “qualificação escolar e profissional da população portuguesa”.

Visitas longas a museus são contraproducentes. Uma hora é o mais correto | Foto: Paulo Spranger/Global Imagens

Não obstante, especialistas reunidos no Rio de Janeiro consideram que o futuro dos museus está na criatividade. Contrariamente ao que se pensa, o futuro museológico pode não estar nas mãos da tecnologia. Isto, porque, na 23ª conferência do Icom, o Conselho Internacional de Museus, órgão parceiro da Unesco que reúne mais de 30 mil profissionais de 137 países numa rede mundial de pesquisa, promoção e preservação do património cultural, considerou que a principal questão em causa é a criatividade. Neste sentido, e numa tentativa de modernização, os museus têm ampliado o uso da tecnologia nas suas exposições — de forma um tanto histérica, como avalia o físico espanhol Jorge Wagensberg, que criou e dirigiu o Museu de Ciência de Barcelona, conhecido por transformar a abordagem museológica em ciência. Contudo, a tecnologia é muito efémera, no sentido em que o que hoje conhecemos como inovação pode amanhã ser antiquado.

Jorge Wagensberg | Foto: Tusquets

As boas ideias nunca se esgotam e não perdem o seu valor, daí que seja importante construir um museu sob uma série de ideias brilhantes. “Tornar o museu mais atraente não pode ser um alvo em si, mas um recurso para melhor atingir os objetivos a que a instituição se propõe”, considera o professor Ulpiano Bezerra de Meneses, professor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, que acredita igualmente que “o museu deve investir no público”. Nesta perspetiva, o físico Wagensberg crê que “um museu é hoje um valiosíssimo instrumento de troca social, que se mede pela forma como pode mudar a vida das pessoas”. “Um visitante tem que sair do museu com ‘fome’, ou seja, com mais perguntas do que tinha ao entrar”, explicou o espanhol.

Dicas para levar os mais novos a museus:

  1. Não pensem ver o museu todo – Uma hora é um bom compromisso.
  2. Explicar as estratégias utilizadas nas obras de arte.
  3. Entrar com espírito de jogo.
  4. Pensar segundo a idade. Os mais novos deixam-se levar pelas cores, os mais crescidos pelas formas. Os quase adolescentes preferem a pop art.
  5. Aproximarmo-nos para ver o detalhe.
  6. Fazer a festa de anos entre obras de arte.
Os quase adolescentes preferem a pop art

Seis motivos para ir a um museu sozinho:

  1. Faz o teu próprio itinerário.
  2. Podes andar no teu próprio ritmo.
  3. Apreciarás a solidão.
  4. Podes conhecer novas pessoas.
  5. É um meio de obter inspiração.
  6. Estimula a confiança.
Tags
Show More

Maria João Mesquita

Licenciada em Ciências da Comunicação na Universidade do Minho, sempre fui apaixonada pelo mundo jornalístico, pelo que trabalho atualmente num jornal/rádio/televisão de Famalicão. Gosto de escrever e sempre me atraiu esta área, porque me permite dar asas à minha criatividade e ir mais longe. O céu é o limite.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: