Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CiênciasCiências e Tecnologia

Adeus ao Puma do Leste

Segundo estudos realizados por especialistas das universidades de Stanford, Princeton e Califórnia, desde o fim da era dos dinossauros (há 66 milhões de anos) o nosso planeta Terra não perdia espécies animais e vegetais numa taxa tão elevada como a que se tem observado nos últimos tempos. O fenómeno está a ser estudado e tratado pelos especialistas como a sexta extinção em massa da história do mundo, ocasionada tanto pelas mudanças climáticas, como pela acção do ser humano.

Após uma revisão que durou 4 anos, o Wildlife Service decidiu remover o Puma concolor do Leste da sua lista de espécies ameaçadas, na qual este belo animal se encontrava há 43 anos. Poderíamos pensar positivamente e concluir que esta retirada desta horrenda e vergonhosa lista seja causada por grandes avanços na sua preservação, mas não é. Este animal foi visto pela última vez há quase 77 anos e considerado oficialmente extinto em 2015, pelo que não pode ser mais considerado uma espécie em perigo de extinção. Já está extinto.

MG_adeusaopumadoleste_1Com pelugem de tons avermelhados, castanhos e acinzentados, este puma era um felino grande que chegava a medir entre 1,8 a 2,4 metros e a ter um peso entre os 40 e os 60 quilos. Juntamente com as panteras, era um dos grupos de mamíferos terrestres com melhor distribuição no ocidente. Com o tempo, porém, acabou por começar por habitar apenas um terço do território que ocupara outrora, isto por causa das invasões humanas, do desmatamento e da caça. Este território, para este puma em questão, ficou reduzido, como o seu nome indica, à parte leste da América do Norte.

A demora entre a data de classificação de extinto (2015) e a sua última aparição (1932) tem uma explicação. Ao todo,

O biólogo Bruce Wright com o que um um Puma do Leste taxidermizado s believed to be the last eastern puma. The puma was trapped in Maine in 1938 by a Canadian national. The preserved specimen resides in the New Brunswick Museum.
O biólogo Bruce Wright com um Puma do Leste taxidermizado

foram registrados 108 avistamentos de pumas entre 1900 e 2010, mas acredita-se que sejam na verdade avistamentos de subespécies que habitam no oeste do país, ou de panteras negras. Deve dizer-se que, em nome da verdade, o Puma concolor do Leste é uma subespécie de puma norte-americano, o qual ainda não se encontra extinto e que habita na parte oriental da América do Norte.

Recentemente, observou-se que populações de subespécies do oeste estão a migrar para o Leste, região onde habitava a subespécie extinta. Segundo a Cougar Rewilding Foundation, não há razões para acreditar que os pumas do Leste sejam significativamente diferentes no que toca à biologia e ao comportamento, comparativamente aos seus parentes do Oeste, apesar de que geneticamente há algumas variações.

Assim, a espécie em geral do Puma concolor não se encontra ainda extinta. Esperemos, contudo, que a extinção da subespécie de Puma concolor do Leste não seja em vão e que sirva para evitar a extinção destes felinos e não só, também de outros animais.

Tags

Maria J Gutierrez

Bióloga de profissão, amante da natureza e de todas as suas formas de vida, desde os seres mais gigantes até aos mais pequeninos. Não há nada como estar com a família, descobrir o mundo, aprender, ler um bom livro e cervejinhas com os amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: