Bem-EstarLifestyle

A força da vulnerabilidade

A grande maioria de nós cresceu a aprender a esconder ou a não expressar as emoções. Ainda hoje ouvimos expressões que são ditas às crianças como “os meninos não choram”, “os meninos crescidos não fazem birras”, “tu já não és bebé para chorar”, etc.

São vários os exemplos que nos mostram como é fácil crescer a acreditar que as nossas emoções e a sua expressão (à excepção, regra geral, da alegria) poderão ser nocivas ou prejudiciais. Assim, vamos crescendo, criando sistemas que nos protegem da exposição das nossas emoções aos outros, pois estamos convictos que “os fortes não choram” e que é um sinal de fraqueza a manifestação do nosso lado emocional, que tal nos poderá colocar em perigo e tornar-nos “presas fáceis” a um qualquer risco externo.

Num processo de crescimento pessoal e de conquista de poder pessoal, um dos passos mais transformadores, que se pôde dar, é o de abraçar a vulnerabilidade individual. Reconhecer que, as minhas emoções são válidas e, são valiosas, pois, elas são, a manifestação de todo um mundo interior, o Meu Mundo. Elas dão-me informações sobre como me sinto (onde, em que situações e com quem) e isso é informação preciosa. E sobre essa informação preciosa posso aprender a trabalhar a sua expressão, manifestação e transformação.

Este processo é gradual, é quase uma aprendizagem de todo um novo sistema de como ser Eu e de, como me expressar de um modo que seja ecológico, sobretudo, para mim, na minha relação comigo e com quem me relaciono.

Percebo que realmente o que acredito poder ser uma fraqueza ou fragilidade é a grande força que habita em mim.

Percebo que o meu lado emocional e sensibilidade, a sua percepção em mim e com o tempo também no outro (criação de estados empáticos) é o maior super-poder que um ser-humano algum dia pôde ter.

Percebo que aquilo que tenho medo que os outros percecionem e vejam em mim é o meu Santo Graal.

Tags
Show More

Teresa Vilhena

" No fundo de cada homem residem esses poderes adormecidos; poderes que o assombrariam, que ele jamais sonhou possuir; forças que revolucionariam sua vida se despertadas e postas em acção" - Esta afirmação de Orison Swett Marden traduz a intenção base do meu trabalho como Energy Coach (coach energético). É esta vontade de alquimicamente despertar forças inatas adormecidas e criar caminhos em conjunto para a sua expressão ideal, que me move de forma apaixonada enquanto profissional e ser humano. O meu percurso académico, com um Mestrado em Bioquímica na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e mais tarde com uma incursão em Psicologia pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, esculpiu a minha capacidade de análise, avaliação e pensamento em diferentes vertentes e contextos. O percurso profissional em ambiente empresarial trouxe-me à consciência as necessidades humanas comuns a todos e despertou em mim uma vontade de trabalhar individualmente e de forma independente o potencial humano latente em cada um. Acredito em pedir ao outro apenas aquilo que eu própria sou capazes de fazer, o que me leva a trilhar nas diferentes vertentes da minha vida um caminho individual de descoberta da expressão da minha autenticidade e da aplicabilidade da mesma em termos práticos do dia-a-dia, pois sei, por experiência vivida e sentida, que "Uma viagem começa com um primeiro passo".

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: