Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
EducaçãoSociedade

A escola dos ricos

São conhecidas por serem as escolas das crianças cujas famílias são mais abastecidas e geralmente não se ouve falar muito delas, isto acontece porque os pais pagam uma quantia bastante razoável para que os seus filhos possam ter uma educação melhor e possam estar mais aptos ao mercado de trabalho no seu futuro.

Engane-se quem pensa que é mais fácil estudar num colégio privado do que numa escola pública, pois assim como o custo é mais elevado, também a pressão e o nível de exigência é maior, obrigando muitas vezes a que as crianças e os jovens cresçam mais depressa. Juntamente com esta pressão que os jovens sentem por parte dos professores mais exigentes, junta-se a pressão dos pais que encaram todo este processo como uma troca: “Eu pago-te uma escola melhor e com melhores condições e a tua obrigação é tirares excelentes notas.” Infelizmente, para muitos pais é assim que funciona, esquecendo-se que os filhos ainda são crianças.

Não é apenas neste aspecto que os colégios privados diferem dos colégios públicos. O dinheiro que é pago pelos pais permite um melhor sistema de aprendizagem, assim como melhores ferramentas e condições de estudo para que os alunos possam ter acesso ao que de melhor há no ensino. A abundância e variedade de iniciativas escolares, seja de convívio seja de atividades, também se reflete de uma forma bem diferente de um tipo de ensino para outro, mas até aí é exigido um maior grau de participação do aluno, assim como as próprias ementas do refeitório.

O sistema de ensino num colégio privado é muito diferente do sistema de ensino de um colégio público. No primeiro, não se colocam a questão de haver greves dos professores, as faltas tanto dos professores como dos alunos são muito controladas e certos comportamentos podem dar origem à expulsão do aluno, pelo que a análise das matrículas é feita de maneira peculiar. Cada aluno é um caso mas numa escola privada, um só aluno não pode prejudicar a turma e alguns comportamentos que, numa escola pública seriam tratados com uma simples chamada de atenção ao aluno, numa escola privada leva a que os pais sejam contactados de imediato e convocados para uma reunião. No ensino privado, também é dada uma maior importância ao estado do aluno, principalmente psicológico, sendo em alguns casos sugeridos psicólogos para acompanhar os jovens, um mundo diferente do ensino público.

No entanto, se o ensino privado prepara bem os jovens para enfrentar o mercado de trabalho, por outro lado, pode não ser suficiente para os ajudar a enfrentar aquela que é a realidade da sociedade. A maior parte das mentalidades que são formadas em colégios privados saem com uma visão um pouco distorcida daquilo que é a realidade e daquilo que é, no geral, a educação fora do mundo das pessoas com mais meios e, por vezes, o choque pode ser grande. Os colégios privados dão as ferramentas que os jovens precisam para se autoconstruir intelectualmente, no entanto, pouco os preparam para aquilo que vão ter de enfrentar, quando saem para o mundo vulgar.

Embora frequentar um colégio privado seja uma óptima opção para o futuro de um jovem (se os pais puderem pagar, porque afinal a educação também se paga), muitos são os pais que perdem a noção da pressão em que colocam os seus filhos, dando-lhes a ideia que têm de crescer mais depressa.

É importante uma boa formação e infelizmente a nossa sociedade acaba por discriminar também esse aspecto. No entanto, é necessário termos consciência que, embora ajude muito, não é uma escola privada ou uma escola pública que vai definir o quão inteligente e responsável pode vir uma criança a ser no futuro. É, sim, um conjunto de factores e valores que despertem na criança o interesse em querer aprender e muitas vezes, enquanto que a pressão sentida pelos jovens, durante os vários anos de ensino privado podem ter o efeito contrário ao desejado, até porque o dinheiro não compra tudo.

Mafalda Parreira

Sou a Mafalda e tenho 37 anos. Trabalho como repositora logística. Tenho o 12º ano e estou a tirar o curso de auxiliar de reabilitação e fisioterapia em horário pós-laboral, para exercer futuramente, pois é um dos meus sonhos e ainda não estou velha para o deixar escapar! Tenho um filhote lindo de 8 anos que me apoia muito e é o meu orgulho. Adoro ler, escrever, cozinhar, caminhar e experimentar coisas novas! Tenho 2 gatos maravilhosos (e um pouco loucos também!!) e um aquário cheio de peixes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to top button

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: