CulturaLiteratura

A Casa de Bonecas

Volto aos thrillers, não consigo resistir. E ainda menos a este, com um título, uma capa e uma sinopse assim.

É tão, tão bom! Não desilude! Ficamos agarrados na primeira página e sentimo-nos a correr até à última – mas a correr com gosto, atenção. Devorei-o em apenas três dias! E demorei mais tempo, porque tive de me obrigar fazer intervalos, presa entre a vontade de querer continuar, o receio de que acabasse e – mais importante de tudo – as emoções que me fazia sentir. Se não estava a ler, estava a pensar nisso, a absorver a história, a pensar nos personagens. Quando lia, sentia os meus olhos ainda mais velozes e o coração a bater muito rápido, quando havia alguma aproximação da protagonista, a inspetora-detective Helen Grace, a indícios que a levassem a encontrar este perigoso assassino em série que raptou mais uma rapariga.

acasadebonecasLi na biografia de M. J. Arlidge que escreve ficção para a televisão inglesa. Sem dúvida a experiência do autor com a televisão ajudou a que o livro fosse ainda melhor: capítulos muito pequenos em que a cena muda rápido, torna o livro muito mais dinâmico, com cliffhangers a cada duas ou três páginas. Senti, enquanto lia, que nos deixavam só observar pequeníssimos momentos e de repente somos puxados para outro, ficamos cheios de vontade de ver mais do que já passou, mas de repente também já estamos viciados no capítulo que veio a seguir.

Este é o terceiro livro do autor, M. J. Arlidge, com a mesma protagonista, Helen Grace. Não li os dois primeiros e não é obrigatório lê-los para conseguir perceber este terceiro livro. No entanto, como existem referências a casos e situações passadas (que, mesmo sem ler, conseguimos perceber ou adivinhar), penso que ficamos com uma percepção muito mais rica do Universo de Helen Grace e a polícia de Southampton, se tivermos lido os dois primeiros. Já ouvi dizer que são tão bons como este, por isso é uma óptima desculpa para começar uma nova série.

Gostei mesmo, mesmo muito. E agora? Agora só tenho vontade de ler os anteriores, enquanto não chega o próximo.

Um obrigada gigante à Topseller / 20|20 Editora pelo envio.

Tags
Show More

Rosa Machado

Por ser curiosa e fascinada pelo que não compreendo, considero-me uma devoradora de livros e uma criadora compulsiva, seja de contos no papel ou de histórias mirabolantes no dia-a-dia. Adoro animais, fotografia, música e filmes – arte em geral. Perco a noção do tempo com conversas filosóficas sobre nada, longas caminhadas para parte nenhuma, conversas exageradas com os amigos, e séries com ronha no sofá.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: