Negócios

A Anatomia de um Artigo Perfeito

Isto sim é pressão. Aventurar-me num artigo sobre como escrever um artigo perfeito para um blogue é, possivelmente, uma das maiores aventuras a que me propus, desde que comecei a escrever no Repórter Sombra. É algo um pouco diferente dos artigos sobre o post de Facebook ideal, ou do tweet perfeito, porque não existem muitas fórmulas mágicas que permitam sustentar o que aqui pretendo fazer. Portanto, irei escrever as próximas palavras na esperança de que tu, Leitor Sombra, confies nos conselhos que aqui deixo, mesmo que não aches este artigo perfeito.

A que distância estás de atingir o artigo perfeito?

Os 7 elementos essenciais para um artigo perfeito

Por vezes, perco muito tempo a averiguar todos os detalhes dos artigos que escrevo, de forma a ter a certeza de que está perfeito. Sem dúvida que poderia listar mais do que 7 elementos, mas estes sete irão, com toda a certeza, tocar em todas as características essenciais para criar o artigo de blogue perfeito.

  • O Título: as 6 palavras mais importantes
  • A Narrativa Cativante
  • Poucos Caracteres por linha logo no início
  • Imagem de Destaque
  • Subtítulos para Optimização para Motores de Busca
  • O Número Máximo de Palavras
  • As Palavras-Chave para Optimização

Como escrever o Título Perfeito

8 em cada 10 pessoas irá ler o teu título. 2 em cada 10 irão ler o resto do artigo

Artigos como a “Regra 80/20” do site Copyblogger chamam atenção para o facto que os títulos, por norma, são os elementos que ditam o sucesso, ou o fracasso para qualquer artigo de blogue. Então, como é que se constrói um título apelativo?

Comecemos pelo seu tamanho. A maioria dos leitores tem a tendência de só ler as primeiras três e as três últimas palavras de um título. É o que refere um estudo sobre a usabilidade realizado pela KISSmetrics, revelando que o ser humano não se limita apenas a analisar por alto o corpo de texto, mas também os títulos. Claro que são poucos os títulos que são compostos por um máximo de 6 palavras, mas, nesses casos, é importante dar o máximo de destaque possível às primeiras e às últimas palavras. Por exemplo, alguns dos títulos do site 99U demonstram como todos os títulos são pensados para seguir este método, como podes ver:

  • The Comparison Trap: How to Enjoy (and Not Envy) the Success of Others”;
  • The Most Important Skill for Great Leaders? Trustworthiness”;
  • The Narrative Fallacy: Why You Shouldn’t Copy Steve Jobs”;
  • How to Apply Lateral Thinking to Your Creative Work”;
  • Work/Life Separation Is Impossible. Here’s How to Deal with It”.

Em termos de Search Engine Optimization (SEO), o título deverá ter, aproximadamente, 55 caracteres, ou menos, para que possa aparecer por inteiro na página de resultados dos motores de busca e evitar que seja encurtado, perdendo um pouco da sua relevância.

Para além destes números específicos, existe um extenso número de conselhos sobre técnicas de escrita para a criação de títulos apelativos. Da última vez que efectuei uma pesquisa, existiam 56 mil resultados no Google sobre este tópico e praticamente todos concordam que se devem aliar as técnicas de criação de títulos com os conhecimentos advindos dos estudos sobre a psicologia humana. Com isso em mente, aqui ficam 8 estratégias de títulos que a psicologia comprova chamarem a atenção dos leitores:

  • Surpreender – “Isto não é um Artigo de Blogue Perfeito (mas podia ter sido)”
  • Questões – “Sabes como criar o Artigo de Blogue Perfeito?”
  • Intervalo de Curiosidade – “Dez Ingredientes para um Artigo de Blogue Perfeito. O Número 9 é impossível”
  • Negação – “Não voltes a Escrever um Artigo de Blogue Aborrecido”
  • Como Fazer – “Como criar um Artigo de Blogue Perfeito?”
  • Números – “10 Dicas para Criar o Artigo de Blogue Perfeito”
  • Referência à Audiência – “Para as Pessoas do The Verge, como escrever o Artigo de Blogue Perfeito?”
  • Especificar – “6 Passos para conseguir o Dobro do Tráfico para o teu Artigo do Blogue”

É também possível aprender muito com os títulos que os blogues mais vistos usam. É o caso de Lenka Istvanova, que desenvolveu uma fórmula baseada na sua própria análise das boas práticas para a criação de títulos que conseguem atrair cliques. A sua fórmula pode ser resumida assim:

Números + Adjectivo + Palavras-Chave + Racional + Promessa

Ou seja, algo deste género: “10 Coisas Simples que podes fazer hoje e que te farão Feliz”. Para além destas dicas, existem inúmeros truques para escrever bons títulos, que facilmente são encontrados numa pesquisa no Google e o maior truque que se pode aprender é a estar sempre atento aos casos de estudo que vão aparecendo, de forma a mantermo-nos actualizados com as últimas tendências. Não nos podemos esquecer que 90% do processo de escrita reside na obsessão para atingir um título perfeito.

Depois de teres o título bem trabalhado, cativa-os como uma boa narrativa.

Começa o teu Artigo com uma Narrativa

O Título chama a atenção e a introdução cativa-os a continuar a leitura

Quando Alex Turnbull e a sua equipa na Groove HQ testou várias formas de começar um novo artigo, descobriram que recorrer ao storytelling permitia aumentar em 300% o número de leitores, em oposição aos artigos sem narrativa inicial. Não só os artigos eram lidos, como era feito scroll até ao fim e era passado mais tempo na página. Deve ser, portanto, obrigatório existir um elemento narrativo em todos os artigos que são escritos, como uma piada pessoal, ou um momento de vida humano. Todos os artigos num blogue devem ser bem pesquisados e sustentados em opiniões, ou investigações de terceiros, mas, para que esses elementos se mantenham atractivos, deve-se adicionar uma narrativa mais humana e real, de forma a criar uma ligação com o leitor.

Reduz o número de Caracteres por Linha, com o recurso a Imagens de Destaque

Já alguma vez notaste que a maioria dos artigos nos blogues mais lidos começam com uma imagem no canto superior direito, ou no esquerdo? Porque achas que isso acontece?

Se respondeste “porque o conteúdo visual é o maior”, então, estás certo. A componente visual é extremamente importante e uma imagem atraente logo no topo do artigo ajuda a captar a atenção. Paralelamente, a imagem permite reduzir o número de caracteres por linha, uma vez que, colocando uma imagem no topo direito, ou esquerdo, faz com que o espaço disponível para texto seja inferior e que as frases no início do artigo sejam mais curtas do que o normal. Esta redução de espaço obriga a uma redução de caracteres por linha. O menos número de caracteres faz com que seja aplicado um efeito psicológico no modo como encaramos o conteúdo: o texto torna-se mais fácil de compreender e menos complexo irá parecer. Ou como afirma Derek Halpern, um especialista em redes sociais, que recorre constantemente a esta técnica no seu blogue: “Menos caracteres por linha ajuda as pessoas a tomarem rapidamente a decisão de continuar, ou não a ler o artigo, já que permite criar a ilusão de que o texto é de rápida e fácil leitura.”

No entanto, se não gostares de utilizar uma imagem em destaque logo no início do artigo, podes aumentar o tamanho de letra no primeiro parágrafo e, assim, reduzir o número de caracteres. Sites populares como o Smashing Magazine utilizam esta técnica, conseguindo alcançar um efeito estético muito interessante. Existe ainda outra opção, caso estejas confortável em mexer na folha de estilo do teu blogue, que cria este efeito automaticamente. Para tal, basta colocares esta linha de código p:first-child { font-size: 1.5em; } com o tamanho de letra que pretendes.

Subtítulos, subtítulos e mais subtítulos

Talvez já tenhas ouvido falar que as pessoas na Internet não lêem, mas que sondam. Apesar disto não ser a realidade de todos os internautas, a verdade é que isto aplica-se à esmagadora maioria das pessoas que navegam online e preparar o teu conteúdo para ser sondado é algo absolutamente essencial. Para o fazer, basta usar subtítulos espalhados ao longo do artigo.

Os subtítulos, ou heading tags, são construídos utilizando o editor de texto do blogue, que lhes dá a configuração necessária para serem sondados. Existem seis tipos diferentes de subtítulos, numerados de 1 a 6, e podem ser organizados da forma como o blogue The Yoast sugere:

  • Headline 1: Título do Artigo
  • Headline 2 e 3: Divisórias segundo os dois tópicos principais
  • Headline 4: O Nome do Blogue e, possivelmente, um Artigo Relacionado
  • Headline 5: Colonas de Informação extra

Resumidamente, estas linhas significam a hierarquia de importância de conteúdo tanto para o leitor, como para os motores de busca. A linha mais importante da página é colocada em primeiro lugar e é identificada como Headline 1, enquanto as restantes são todos subtítulos utilizados para identificar cada história presente no meio do artigo. Desta forma, o artigo é construído seguindo uma linha de raciocínio similar à de um formulário. Caso o blogue não o faça automaticamente, costumo colocar cada subtítulo a negrito, para poder dar-lhe destaque relativamente ao resto do artigo.

Escreve um Artigo com o Tamanho certo

Se escreveste um excelente título, que consegue chamar a atenção dos leitores, adicionaste-lhe uma introdução cativante para prender a sua atenção e formataste-o para que consiga guiar os leitores pelos principais tópicos do teu tema, já conseguiste fazer mais do que a maioria dos artigos na Internet. Agora, vamos tratar do conteúdo que queres escrever.

Tipicamente, existem duas grandes e diferentes questões, quando se pretende abordar a questão da construção de um artigo de blogue perfeito:

  1. Qual deve ser o seu tamanho?
  2. Qual deve ser o seu aspecto?

Contra tudo o que muitos acreditam ser verdade, sou da opinião que não existe um tamanho ideal para um artigo na Internet, porque o mais importante é a forma e a mensagem transmitida. Ainda assim existe um conjunto de regras para que o artigo seja criado devidamente.

Artigos com 1500 palavras, ou mais têm a Tendência de serem Mais Partilhados

O site Quick Sprout fez uma recolha de dados interessante, por causa desta ideia generalizada sobre os artigos. Ao longo do artigo, eles citam uma investigação leva a cabo por um site noticioso popular que testou as partilhas no Twitter, no Facebook e no Linkedin de todos os seus artigos e dividiu os resultados pelo número de palavras que cada um tinha. Concluíram que, quanto maior o artigo, maior o número de partilhas nas redes sociais. Algo corroborado pelo Quick Sprout, cujos artigos com mais 1500 palavras conseguem receber 68% mais tweets e 22% mais likes no Facebook.

O mesmo é afirmado pelo blogue do Buffer, que efectuou uma pesquisa sobre o tamanho ideal de um artigo para blogue e que chegou à conclusão que o tempo máximo que um artigo pode demorar a ser lido é de 7 minutos, o que dá uma média de 1600 palavras por artigo. O site Medium faz a mesma recomendação num artigo, onde apresenta um gráfico de interacção entre o leitor e o artigo, em que confirma a regra dos 7 minutos.

Claro que, com um conteúdo mais longo, é necessário sempre que possível criar um escalonamento hierárquico. O Nielsen Norman Group descobriu que as pessoas só lêem 28% das palavras que estão num artigo online e usar os subtítulos da forma que referi anteriormente ajuda os leitores descobrirem a informação que pretendem ler. Também é possível usar estes pequenos truques para destacar algum conteúdo que se pretenda:

  • Listas (em pontos, ou numerado);
  • Blocos com citações;
  • Parágrafos a Negrito;
  • Parágrafos mais curtos;
  • Usar imagens.

Usar Frases Partilháveis nas Redes Sociais

Se procuras por um bom conselho prático para a construção de um artigo perfeito, de certeza que irás gostar do que Derek Halpern descobriu: as pessoas adoram partilhar citações nas redes sociais. Deves criar frases que sejam partilháveis e que possam servir como citações no teu artigo perfeito.

Halpern chama a estas frase de “tweetables”, por terem a grande potencialidade de atingirem a viralidade no Twitter, e para se conseguir criar é necessário retirar os melhores momentos do texto e colocar uma caixa de “Tweet This”, ou “Share This” no fim do artigo, para que seja possível disseminar pelas redes sociais. Também é possível atingir este objectivo dando destaque a determinadas frases, ou palavras que vão aparecendo, para que os leitores consigam vê-las rapidamente e possam partilhá-las nos seus perfis.

Existem algumas ferramentas online que te podem ajudar a escolher as palavras a espalhar pelo teu artigo. Por exemplo, tens o:

Click to Tweet website: a plataforma online que te permite criar um tweet para incluir em qualquer post do Twitter e os trabalhos que realizares ficarão salvos no site para serem editados mais tarde;

Click to Tweet WordPress plugin – criado pela equipa do TodayMade, esta utilidade para partilhar citações directamente dos artigos. O resultado final é esteticamente muito interessante e convidativo.

Quatro Pormenores que podes incluir no teu Artigo Perfeito

Tudo o que refiro até aqui são os grandes tópicos a ter em consideração na criação de conteúdo online. Se seguires essas linhas, dentro do razoável, já conseguirás criar um artigo praticamente perfeito. Contudo, se ainda tiveres tempo para realizar mais algumas tarefas antes de publicares o artigo, aqui ficam algumas áreas onde poderás fazer algumas alterações.

Coloca um Call to Action (CTA) o teu Artigo

É normal encontrarmos CTA em vários locais de um blogue. A barra lateral, o topo do site e o fim do site são os locais onde é possível entrar o maior número de call to action, existindo ainda, espalhados no meio dos textos, links para áreas internas e/ou externas da plataforma. Aliás, os links são um método tradicional utilizado na maioria dos artigos de sucesso que existem. Tanto que o Blog Pro realizou um estudo a incidir nos 100 artigos de blogues mais lidos, onde notou que estes, em média, tinham 10 links espalhados pelos textos.

É, contudo, necessário apontar que, apesar de não existirem quantidades ideais de links, ou de CTA, a maioria dos 100 artigos de blogues mais lidos têm um rácio elevado de links por palavra. Algo que ocorre, porque eles são essencialmente plataformas textuais para outros recursos. Noutros casos, os artigos não tinham praticamente links, mas, no fim, apresentavam um call to action, ou um widget de conteúdo relacionado.

O Conteúdo Visual é Essencial

Alexandra Skey do Get Spokal gosta de relembrar sempre que o conteúdo visual é algo muito importante hoje em dia. É uma das ferramentas para conseguir criar um artigo de sucesso. Como ela tão bem diz, “a nossa mente consegue lembrar-se mais facilmente de uma imagem do que de um texto. Portanto, se incluíres imagens, não só as pessoas irão gostar mais de ler o teu site, como será mais provável que se lembrem dele no fim.”

Os resultados do estudo realizado pelo Blog Pros de que falei anteriormente também dá ênfase ao conteúdo visual, afirmando que os 100 artigos de blogues mais populares têm, em média, uma imagem para cada 350 palavras.

Incluir Botões de Partilha nas Redes Sociais

Os artigos perfeitos necessitam de ser partilhados, não é verdade? É vantajoso fazer com que a partilha de conteúdo seja o mais fácil possível para os leitores e é simples fazê-lo adicionando às páginas de artigos botões de partilha no topo da página, na barra lateral, ou no fim do artigo. Idealmente, estes botões aparecem ao lado do artigo, utilizando, por exemplo, o plugin de WordPress Digg Digg, e no fim, sendo algo transversal a todas as páginas.

Cria um URL Utilizável, Legível e Optimizado para motores de busca

Criar um bom URL para a história que estás a construir no teu artigo pode parecer a ideia mais estapafúrdia que alguma vez ouviste, mas aposto que um pequeno conselho de Daniel Zeevi, da Dashburst, poderá fazer-te mudar de ideias. Diz ele que “o Google revelou que é ideal usar entre 3 a 5 palavras no URL das nossas páginas. Para além disso, se tiver mais palavras, o URL terá menor relevância e corre-se o risco de aparecer cortados nas páginas de resultados. Portanto, deve-se ter um URL curto e devem-se colocar as palavras-chave logo no início.”

Por exemplo, este URL:

http://www.reportersombra.com/descobre-o-artigo-de-blog-perfeito-estudos-e-a-ciência-por-detrás-de-um-artigo-perfeito

Pode, com uma pequena edição, tornar-se nisto:

http://www.reportersombra.com/o-artigo-perfeito

Começa a Pensar no teu Próximo Artigo

Para terminar, deixo-te só mais um conselho. A Hubspot tem uma lista maravilhosa de características que os excelentes artigos de blogue deveriam ter sempre. Podes e dever ir ao site deles ver o que eles dizem mais detalhadamente, mas deixo-te aqui um pequeno resumo.

Um excelente artigo para blogue deve:

  • Levar a uma Acção;
  • Ser Relacionável;
  • Despertar uma Noção de Urgência;
  • Ter uma Componente Visual;
  • Promover Soluções e não Problemas:
  • Entreter;
  • Ser Claro e não levantar Dúvidas.

Agora, deixo tudo nas tuas mãos. Quantos destes elementos consegues colocar no teu próximo artigo? Quantas estratégias das apresentadas neste texto irás experimentar de futuro?

Tags
Show More

Miguel Arranhado

licenciado em ciências da linguagem, pela faculdade de letras da universidade de lisboa. editor no repórter sombra. amante das artes e da cultura. politólogo de sofá. curioso por natureza. fascinado pelas pessoas e pelo mundo. crítico. perfeccionista. maníaco por informação. criativo. e assim assim...

Related Articles

1 thought on “A Anatomia de um Artigo Perfeito”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: