Negócios

10 Erros que não precisam de cometer com o vosso negócio online

Quais os erros que não se devem cometer num negócio online. Este é o tema de hoje mais uma vez dedicado aos negócios e comunicação empresarial neste caso online. Deixo a lista assim como um resumo com os 10 Mandamentos de um Negócio Online.

10 Erros que não precisam de cometer com o vosso negócio online.

 1. Ignorar as Google Pages ou seja nem registar a empresa na Google.

Muitas pessoas acham que as Google Pages não servem para nada, mas isso é uma mentira pura. Estas ajudam no ranking do próprio Google e se registarem o vosso negócio com um negócio o Google irá mostrar a vossa empresa nos resultados dessa área/zona. Para mais informações verifiquem: https://www.google.com/business/

2- Não ter um site.

Ter um site hoje é dia é extremamente barato. Além disso Ter os produtos online antes mesmo de ter uma loja física dá credibilidade ao negócio e permite criar vendas antes mesmo de abrir a porta da loja. Além disso podem ainda incentivar novos usos para um produto. Imaginem uma loja de acessórios de senhora: mostrar como usar um cachecol de 7 formas diferentes irá criar mais valor e irá entusiasmar os clientes, além disso este é o tipo de conteúdos que as pessoas adoram partilhar nas redes sociais.

3- Não atualizar as redes sociais.

Ninguém quer contactar uma empresa que não parece estar a acompanhar o resto do mundo. Não publicar coisas há semanas se não meses ou mesmo anos é um grande e grave desperdício. Muitas vezes é inclusive uma questão de distração, já assisti a donos de empresas que passavam horas no Facebook mas que não se recordavam da última vez que haviam publicado na sua página empresarial. Lembrem-se que estes são recursos gratuitos, somos a primeira geração que tem dispositivos que transmitem mundialmente informação de graça, aproveitam essa oportunidade.

DICA: Dediquem 10 minutos por dia a responder comentários, fazer gostos e postar/agendar publicações de conteúdo online. Ninguém vai saber no que andam a trabalhar se não o anunciarem!

[Tweet “Somos a primeira geração que tem dispositivos que transmitem mundialmente informação de graça, aproveitam essa oportunidade.”]

4. Não dar importância à fotografia dos produtos.

Não vale a pena seremos desonestas, uma boa capa vende mais que um bom livro. Por isso invistam em boas fotografias de produtos. Se não conseguem ter um profissional a tratar das vossas fotos, reúnam algum dinheiro e tirem um curso de fotografia de produto. Sejam proactivas e vejam vídeos online ou tutoriais, acreditem que fotos melhores vão vos ajudar a vender, já o velho ditado dizia “os olhos comem antes da boca”. O mesmo se aplica às lojas online e às suas fotos, fotos bem conseguidas realçam o produto de uma forma única que nem o melhor dos sites consegue se não tiver as fotos que o acompanhe.

5.  Deixar o branding para depois.

Não deixem o branding para depois, definam e se possível com especialistas de Branding ou Marketeers ou Designers (que tenham bases em branding) qual vai ser a vossa marca. Parece estranho que se gaste dinheiro nisto quando falamos de pequenos negócios ou start-ups. Mas não basta criar apenas um logotipo feito pelo sobrinho da vizinha que até desenha bem. É preciso definir a personalidade da marca, que se deve adequar ao público alvo. Além disso devem definir como será desenvolvida a marca. (isto dava assunto para um post em si mesmo!)

6. Não interagir.

A partir do momento que são criadas redes sociais esta é uma regra importante. Temos de interagir! Se comentam as nossas coisas devemos comentar de volta ou pelos menos clicar gosto da publicação. O mesmo é válido para partilhas. A ideia por de trás das redes sociais é conversar com os nossos “fãs” ou amigos online não é falar do pedestal e esperar que as pessoas se mantenham interessadas quando os seus esforços para comunicar não são respondidos. Partilhem coisas dos vossos fãs e comentem!

7. Comprar um site todo personalizado.

Muitas pessoas acham que criar um site implica ir a um programador pagar milhares de euros para ter um sistema de vendas. Isso não é verdade. Se estão a começar uma plataforma wordpress por exemplo será mais que o suficiente, existem ainda plataformas como o Wix também bastante fáceis e acessíveis com planos de 24€ mês com venda online integrada (o que podem dispensar nos primeiros meses, até ano, e tratar das coisas por email). Um site sai a qualquer coisa como 300€ ano. Não, não fica barato a longo prazo mas para o primeiro ano é o ideal, experimental e depois avaliam se gostaram do serviço e se querem um site feito profissionalmente.

Se conseguirem personalizar, é possível, podem até ter um blogger. Não será possível fazer integração de vendas mas podem sempre anunciar os vossos produtos no blog e numa página listar os artigos para venda. Tem é que existir criatividade

Não vale a pena jogarem-se de cabeça e gastar mil ou mais euros num site chique e cheio de funcionalidades. Estudem o vosso mercado e vejam, se calhar uma página simples até pode ser o melhor para vocês.

8. Não Reservar os nomes nas redes sociais.

Muitas pessoas pensam… ahh não tenho tempo para um [inserir nome de rede social] não vou registar o nome da empresa. Registem os nomes nas principais redes sociais! Mesmo que não consigam publicar, deixem as contas quietas. Nada pior que descobri meses ou anos depois que alguém usou o vosso nome para criar conta e agora não o podem ter de volta! Querem saber mais, vejam o exemplo do instagram

9. Gastar dinheiro com publicidade online (diferença entre gastar e investir)

O erro neste caso não é o gasto em si é se estão a investir corretamente. Muitas pessoas no Facebook por exemplo preocupam-se com os Gostos, “ahhah eu quero ter mais gostos”. Imaginemos que gastei dinheiro, paguei e ganhei 500 gostos novos, mas essas pessoas são potenciais clientes? Ou são apenas pessoas que gostam ou pesquisaram produtos relacionados com os que vendo mas nunca me vão comprar nada e estão sabe-se lá onde vivem ou estão? Lembra-te até online a quantidade não vence a qualidade. 

Não invistam o vosso dinheiro em publicidade sem saber o que estão a fazer, se não sabem como o fazer vão a uma agência de marketing e expliquem: “Tenho X para gastar. Como acham que devo fazer?“.

Se ainda não estão prontas para o fazer façam um concurso para dinamizar as vossas redes sociais, ofereçam produtos em sorteios, façam parcerias, há milhares de maneiras simples e eficazes de publicitar sem gastar muito ou até de graça.

10 – Remar contra a maré.

Antes de criarem um negócio online investiguem o mercado e vejam o que a concorrência está a fazer. Não estou a dizer para copiarem! Estou a dizer que não devem querer “reinventar a roda”. Se todos estão a vender coisas de Verão no Verão eu não vou vender mercadoria de Inverno no Verão. Isto pode parecer obvio, mas há vezes que não é assim tão fácil distinguir uma boa de uma má ideia. Não devem desperdiçar as vossas energias por isso testem as vossas ideias, perguntem ao vosso público alvo (ou seja pessoas que de facto comprem/usem os vossos produtos) o que acham. SOBRETUDO não fiquem ofendidas se as ideias não resultarem, não foram vocês que falharam, foi só uma ideia menos boa.

Tags
Show More

Dulcineia Dias

O meu nome é Dulcineia Dias, sou portuguesa e algarvia. Tenho 24 anos e trabalho em Marketing Digital. Nos meus tempos livres gosto de levar uma vida boémia, andar descalça, ler livros, tirar fotos, escrever, fazer manualidades e conversar.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker
%d bloggers like this: